terça-feira, 24 de maio de 2011

Além do Arco-Íris

Ganhei de presente da minha magnífica namorada linda o livro Desvendando o Arco-Íris, de Richard Dawkins. Ainda não o li, mas já espero muita coisa. Depois de acabar a trilogia Senhor dos Anéis, partirei para sua leitura.

O livro, pelo que vejo, trata de questões morais e éticas, do existencialismo e do niilismo, na compreensão de um mundo sem sobrenatural.
Um pouco tenho a falar sobre isso...
A perspectiva de um mundo sem deuses, sem sobrenatural, sem desígnio, sem esperança... é dolorosa?
Me diga, meu caro, se o fato de você acreditar ou não em determinadas coisas altera a realidade. O fato é que não existem deuses, não existem desígnios. Nem para mim, ateu, nem para um teísta.
Mas isso muda a possibilidade de viver bem, feliz, sorrindo, gostando? Afinal, é assim que vivo!
Para mim, o que muda é o fato de eu observar o mundo com outros olhos, olhos realistas, e perceber a beleza da realidade. A beleza de um universo compreensível a ser descoberto. Das partículas se agrupando, se duplicando, se modificando e especializando - da vida. Dos bilhões de anos que me fizeram existir e que me farão sumir em poucos anos, em uma fração infinitamente pequena para o tempo do universo.
Entender a relação entre as pessoas, percebendo a igualdade entre os humanos. Entre os humanos e todas as outras espécies. Construir uma visão do mundo baseada na realidade. Digo isto pois um crente, na situação de se achar imagem e semelhança de deus, superior a outras espécies, especial, vive numa ilusão, numa mentira, com suas ações guiadas por doutrinas sem base.

Enfim, ainda lerei mais essa obra de Richard Dawkins e talvez traga novas reflexões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são livres. Sua opinião será levada em consideração para as próximas postagens.