sexta-feira, 14 de março de 2014

Corpos e Anticorpos

Corpos e Anticorpos

Algo natural e iminente:
corpos que encantam as eras
circundam-se e liberam as feras
numa antipatologia doente.

Cura escaldante que, de repente,
na estrutura dos corpos se integra,
sendo apenas tudo aquilo que se espera
da luta da aranha com a serpente.

Sendo assim, está então provado
que o homem, com a mulher ao lado,
é uma besta-fera da libido.

E com todo esse desejo proibido
o ser-doença sente-se impelido
a amar e ser amado.

Essa poesia recebeu menção honrosa no X Prêmio Ideal Clube de Literatura, Fortaleza/2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são livres. Sua opinião será levada em consideração para as próximas postagens.